Páginas deste Blog

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

DOM´S e dom´s !


Há muito não freqüento as salas de bate-papo, mas numa de minhas idas por lá, nesse tempo passado, lembro-me de um indivíduo que entrou no chat (o tema era SM) com o nick Quero ser Dom, ou algo parecido com isso. Assim que ele entrou algumas pessoas começaram com piadinhas, insultos, etc. Alguns minutos depois ele se dirigiu a mim e perguntou se eu o ensinaria a ser um Dom, e disse também que já havia feito essa pergunta a outros e que só recebeu NÃO, e isto quando este não vinha acompanhado de um "vai te catar", "cai fora", etc.

Recentemente, conversando com algumas pessoas e lendo alguns blog´s, um assunto não me sai da cabeça, e complementando minha última postagem, considero importante externar aqui mais algumas de minhas opiniões.

Dominação é algo muito sério, prazeroso, delicioso, porém de extrema responsabilidade. Não se entra no BDSM como Dom fugindo de algo incompleto como forma de preencher um vácuo. Dominar é uma opção de vida, que faz do BDSM parte dela, mesmo que você não viva em função disto.Vem de dentro para fora; aflora a pele e os sentidos; é tesudo, mágico!

Ser Dom não é simplesmente encontrar uma mulher que se diga submissa e sair lhe dando ordens; muito menos empunhar um chicote para lhe provocar dor - não é essa a dor da submissão; não é essa a dor do prazer. Parafraseando Mestre Jota SM, pergunte a uma submissa se ela sente prazer quando bate a perna na quina de uma mesa; pergunte-lhe se ela tem orgasmos com isso.

O instinto do Dominador antes de ter a peça a sua mercê o leva a conhecê-la; a conquistá-la; a fazê-la sentir sua falta, a que você seja seu vício. Em contrapartida (pois toda submissão é concedida), toda submissa “deveria” reconhecer essas características dominantes. Uma boa parte reconhece, mas uma outra parte, principalmente de iniciantes, ainda são algozes de falsos dominadores.

Não estou sendo contraditório com meu post anterior, continuo dando as boas vindas a quem quiser por aqui aparecer, desde que com consciência e respeito.

Dominar é se fazer presente mesmo quando ausente; é cuidar, proteger, ensinar, moldar sua peça para a satisfação dos teus prazeres – que também serão os dela, pois é uma via de duas mãos. É conhecer seu tom de voz, sua respiração, seu olhar, seus gemidos. Uma submissa dá ao seu Dom aquilo que ela não dá nem ao seu cônjuge (no caso de sub´s casadas).

Como não respeitar e admirar uma mulher assim? Somente os hipócritas.


Saudações SM!

2 comentários:

{ÍsisdoEgito}JZ - Tua, somente tua disse...

Bom dia Lord Bondage.

É um prazer conhecer teu blog e se me for premitido, linka-lo ao meu e segui-lo.

De fato, numa relação BDSM, o respeito, a admiração, a cumplicidade, não devem ser esquecidas jamais.

Na verdade, tudo isso vai acontecendo e aumentando a medida que os cuidados são dados, assim como a devida importãncia que é concedida tanto da submissa para o Dominador, e vice versa.

Nós submissas estamos dispostas a doar, dar, oferecer e entregar tudo que ha de mais importante e sagrado que exista dentro de nós, mas deve existir reciprocidade.

Isso não é condição, mas fato e consensualidade.

Belas paalvras as tuas Senhor.

Beijos carinhosos e respeitosos,

ÍsisdoJun

melissa disse...

"Uma submissa dá ao seu Dom aquilo que ela não dá nem ao seu cônjuge (no caso de sub´s casadas)."


Realmente, Senhor, posso confirmar sua colocação.É assim mesmo que as coisas acontecem.
Rindo por dentro aqui.Que delícia!

Agradeço a visita e comentário que deixou no meu blog.
Me senti honrada.
Volte sempre.