Páginas deste Blog

terça-feira, 15 de março de 2011

Bondage: puro tesão!

Já existem ótimos textos na net conceituando e informando a origem do Bondage, de forma que, nas linhas a seguir vou tentar explicitar o meu tesão sobre, e não os aspectos técnicos desta arte.

Minha admiração pelo Bondage, especificamente com o uso de cordas, dá-se pela possibilidade de podermos criar uma obra de arte em uma já existente.

O processo de criação – falo por mim – começa quando você olha, ou pensa em sua submissa e cria nela a imagem daquilo que se quer. Escolher as cordas, a cor, o tipo, as amarrações e depois, como mágica, e também como se as cordas fossem pincéis, ver aquilo outrora imaginado tomando vida é um grande tesão!

Sem nenhuma pressa suas mãos vão carregando e percorrendo o corpo da sua submissa, emoldurando-a. Tanto para o Dominador bondagista como para ela, o momento é único, principalmente quando se faz deste ato, um ritual. A preparação do ambiente (a iluminação com velas, as músicas); a preparação e condução da submissa pelo DOM; a roupa e a forma de como ela é tirada – ou arrancada; enfim, detalhes importantes que fazem a diferença, proporcionando, além do sentimento de confiança, o prazer dela em entregar-se plenamente a cada toque, movimento, palavra – e em alguns casos, no silêncio das palavras – apenas sentindo seu corpo sendo envolvido, apertado, transformado, aguardando que Seu artista use sua obra e sua arte.

Praticar o Bondage não é nada difícil. A democratização das informações pela Internet ajuda, e muito, a qualquer pessoa que queira se iniciar nesta deliciosa arte. O acesso a milhares de fotos é rápido e gratuito, bem como ao de vários sites que disponibilizam vídeos e textos explicando e ensinando as amarrações básicas. Se digitarmos a palavra “bondage” no Google, aparecem, em 0,11 segundos, mas de 67 milhões de resultados. Mas de nada adiantarão teorias se não praticarmos; não se aprende a jogar basquete sentado na arquibancada. “O objeto capacita o indivíduo”.

Com relação às cordas e particularmente aqui no Brasil, temos excelentes materiais, baratos inclusive. É claro que todo bondagista quer ter em sua coleção as tradicionais cordas de cânhamo (fibra resistente fornecida pela planta Cannabis sativa – a tal da maconha), porém como aqui é proibido o cultivo, beneficiamento e comercialização de qualquer produto feito à base desta planta resta-nos recorrer às alternativas existentes. O mercado de cordas, de fibras naturais ou sintéticas, é amplo e, para o Bondage, podemos fazer uso das cordas de poliéster, polipropileno, estáticas ou semi-estáticas, ou cordas de fibras de algodão, sisal ou juta. Destas, particularmente prefiro as de algodão trançadas e juta, por serem mais macias e permitirem nós de boa qualidade. Em práticas onde se realiza a suspensão, as de polipropileno, as estáticas e semi-estáticas são mais aconselhadas, por serem mais resistentes.

Sobre as cores, no caso de cordas sintéticas, não há muito que ser feito: é o que está disponível para venda e ponto final. Mas no caso das cordas de algodão cru, ai é possível usar e abusar da criatividade. Eu por exemplo tinjo minhas cordas (bati um pouco de cabeça até ter encontrado o processo ideal, o que não significa dizer que não socializo isso, ao contrário, depois postarei aqui o que aprendi por “tentativa e erro”), e dou a elas as mais variadas cores.

Eu não me considero um “Bondager” (acabei de criar o termo – rssss), ou um “Mestre” nas cordas, mas apenas um simples bondagista que ainda tem muito a aprender – porém com muito tesão para isso!

14 comentários:

LadySiri disse...

Olá My Lord,

vim agradecer o selinho e dizer que postei em uma página especial "presente aos amigos" que fiz lá na minha sala. Obrigada mais uma vez.

Fascinante ler você viu...despertou em mim imensa curiosidade e prazer.

Beijos

magnolia disse...

Eu amo tanto a estética, e os efeitos da escravidão, eu concordo com você que é uma verdadeira obra de arte, tanto visualmente quanto emocionalmente.
Uma saudação.

{estrelamenina_sub}_"DOM DE" BDSM! disse...

Boa tarde Lord Bondage, adorei o texto, e sou fã do Bondage, uma arte belissima. Obrigada por seguiur meu blog, tambem estou seguindo o blog do Sr., alias um belissimo blog.
Bjos...

{estrelamenina}em adestramento_"DOM DE" BDSM!

ACM disse...

Grande amigo,

Acho que a forma pela qual elaborou seu artigo é perfeita. Assinaria no final sem tirar uma vírgula.

O que importa é a concepção do fetiche. Ser um mestre ou não é uma questão de detalhe. Nós que gostamos e praticamos é quem devemos achar o nosso ponto B...rs

Acho que o trato e a cena, como descreveu, me parece o ponto principal. Isso depende do tesão, e aí meu nobre amigo e parceiro, é uma questão de de foro íntimo...

Parabéns pela matéria.
Ampla e conceituosa.

Abraços do amigo
ACM :)

Lou Albergaria disse...

Lord,

Seus post's são sempre um arraso! Adoro a forma objetiva e direta como escreve, sem falar que sempre aprendo muito vindo aqui.

Sou uma admiradora dessa arte, assim como das fotos que trazem esse universo BDSM.

o Senhor é um encanto!

Estou preparando uma surpresa para ti em meu Covil. Acabei de escrever um poema para o Senhor e irei postá-lo daqui a pouco.
Espero que goste.

Beijo! De 'Eu Lírico' para Muso inspirador!

Lou

Lord Bondage disse...

LadySiri, que essa curiosidade plantada dê muito frutos...rss

Fico honrado que tenha guardado o selinho.

Beijos em ti

Lord Bondage disse...

magnolia e {estrelamenina_sub}, muito obrigado pelo carinho de vocês.

Bondage é uma arte viva e sempre em construção.

Beijos

Catlin disse...

Lord que lindo as imagens, e que gostoso ler o senhor falando de bondage, (primeiro que vejo isso em todo esse tempo, rss).

Amei a primeira foto, linda, delicada.

beijos no coração.

Lord Bondage disse...

Meu amigo ACM, teu coment dá um outro post.

É exatamente isso. O fetiche é uma quaestão muito individual e quando encontramos alguém para compartilhá-lo... putz ai vira puro tesão.

Ponto "B" é duca! rsssss. E as cordas encontram vários pontos B´s, rsss.

Um grande abraço,

Lord Bondage

ઇ‍ઉ றαscαrαdα ઇ‍ઉ disse...

Boa tarde Lord,

Interessantimo o seu post... gosto de ler sobre o assunto, é uma prática que vai ganhando minha simpátia e admiração cada vez mais.

Perfeita a forma como conseguiu descrever o seu tesão por ela.

Beijo.

Lord Bondage disse...

Lou, eu li ontem o post, e não consegui comentá-lo aqui por conta da net. Lindo demais. Muito obrigado mesmo pelo carinho.

Como diz meu amigo ACM com toda a propriedade que lhe cabe, fetiches, não importam quais sejam, se forem vividos dentro de um contexto gostoso, prazeroso, respeitoso.... é sempre muito bom.

Um grande beijo cheio de nós e corda em ti

Lord Bondage

Lord Bondage disse...

Obrigado catlin... Mas sabe que nem me dei conta em ser o primeiro post sobre bondage? rssss.

Um grande beijo.

^^Meauuuu!!!^^ disse...

Meauuuu!
Amo isso!
me excita muito!

Lord Bondage disse...

Masked, sou suspeito para falar de bondage..., rsss. è uma prática deliciosa. Beijos.

Meauuuu, obrigado. Beijos